quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Encantamento


Autor: Alice Hoffman
Data de Publicação: Junho de 2008
Editora: Edições Gailivro
Páginas: 157
ISBN: 978-989-557-553-4


Estrella deMadrigal pensava que sabia quem era: filha, neta, irmã, melhor amiga, amada. Ela é a Estrela no Céu Nocturno, a Verdade no meio da Escuridão. Mas, em Espanha, neste século cruel e impiedoso, a verdade é um bem precioso e raro. Os judeus que recusam a conversão ao Cristianismo arriscam tudo o que têm: o amor, a vida, a família e a fé. A certa altura, uma descoberta espantosa abala profundamente a existência de Estrella. E no entanto, esta mudança devastadora é provocada por algo pequeno e doce. Um beijo. O beijo de alguém que Estrella está proibida de amar. À medida que uma nova rapariga emerge do casulo de segredos no qual foi criada, a paixão desponta e a amizade desmorona-se - a traição acaba por libertar um monstro maligno das profundezas da terra. Estrella dá por si numa situação que nunca julgou ser possível; é alguém que nunca imaginou ser.


Realmente nem sei que dizer deste livro é tão estranho, que nem sei.
Posso dizer que se lê rápido mas a história é muito leve nunca dá para perceber que eles escondem um segredo só quando começa a ser revelado é que se descobre.
Já tinha lidos livros sobre o tema que este trata, é mais um sobre a inquisição e a perseguição aos judeus.

8 comentários:

Victor disse...

Bem o livro é de facto de leitura fluida e agradável mas passou-te ao lado toda a descrição dos costumes judaicos (nomeadamente a descrição dos saberes médicos) que, sendo escondidos dos gentios, por facilmente serem entendidos/confundidos com actos de magia, passavam entre gerações por ensinamento directo; não fazes referencia á amiga da personagem principal, quiçá a personalidade com principios mais desviantes do livro.
Gostava apenas de acrescentar que este livro em particular, de uma autora que além de consagrada é respeitada por uma reconhecida ponderação na escrita de temas ligados á "magia", foi eleito por duas revistas respeitadas no mundo da edição livreira ("Publishers Weekly" e a "Entertainment Weekly") como um dos melhores livros editados em 2008.
As opiniões são de quem as diz, as leituras são de quem as faz, o juntar dos dois binómios é um produto estranho... não é?

Angelina Violante disse...

Sei disso tudo, mas mesmo os costumes que são referidos é de uma maneira muito superficial, fiquei com a sensação que escrito À pressa, daí o meu desapontamento, esperava uma coisa mais consistente.

Victor disse...

Diria que o livro merecia, talvez, uma segunda leitura... com um pouco mais de tempo, mais atenta ao que está nas entrelinhas, pegando no que está a ler, tentar ver o que não está escrito mas apenas no que vai conseguir apreender com essa segunda leitura mais... atenta
boa sorte

Angelina Violante disse...

Pois mas tenho muito que ler entre emprestados, da biblioteca e outros que vou trocando, aliás como aconteceu com este, não me parece que vá ter nova oportunidade de o ler.

Marcelina Gama disse...

Realmente não me parece nada interessante reler algo que não nos cativou da primeira vez! Por vezes nem temos tempo de reler algo se gostou muito...

Isto de darmos as nossas opiniões tem sempre este lado, não se agrada a todos. Se o livro não foi capaz de cativar a Angelina - uma leitora experiente e já muito batida - deverá então ficar para os amantes da época/género.

Jorge Espadeiro disse...

Não fosse o comentário do Victor estar em português, estaria tentado em afirmar que era o mau feitio da autora a manifestar-se de novo, tal como aconteceu aqui:
http://gawker.com/5303534/look-whos-snarking-now-novelist-uses-twitter-to-trash-critic

Continua a existir, infelizmente, uma tendência para atacar todos aqueles que não acham o cripto-judaísmo e romances sobre ele brilhantes.

A autora é uma autora medianíssima e nada mais. Mesmo uma crítica favorável como esta:
http://kelaraparigadoslivros.blogspot.com/2010/08/encantamento-alice-hoffman.html

não consegue dizer maravilhas.

Numa coisa todos concordam a leitura é fácil e simples. Agradável para férias

Victor disse...

é assim, desculpem lá qualquer coisita pá, de facto não tinha nada que dar a minha opnião, não é?
prontos pá, continuem lá a brincar com a bola que é vossa
eu jogo ali ao lado...

Paula Gomes disse...

Dei-me ao trabalho de ir verificar os sites que são referidos num destes comentários e parece-me que as críticas não são assim tão desfavoráveis para a autora. De facto, as opiniões são apenas isso... opiniões - muito subjectivas. O mesmo acontece com as "classificações".
Até mesmo escritores consagrados como James Joyce, Earnest Hemingway ou mesmo José Saramago escreveram coisas "brilhantes", para alguns, e verdadeiras "chatices", para outros...
Cabe a cada leitor aferir por si próprio da qualidade do que lê, mesmo porque a interpretação que fazemos daquilo que lemos depende muito da bagagem que possuimos à data da tal leitura, do conhecimento que temos dos temas tratados, etc. E não é assim tão estranho que o mesmo leitor tenha uma opinião diferente de uma mesma obra, consoante o momento da sua vida em que se cruza com a mesma e aquele em que decide relê-la.
Polémicazinha à parte, fiquei com uma curiosidade imensa em ler a obra em questão, Angelina. ;-)