sexta-feira, 12 de agosto de 2011

A Doçura da Chuva


Autor: Deborah Smith
Data de Publicação: Março de 2009
Editora: Porto Editora
Páginas: 478
ISBN: 978-972-0-04189-0


Kara Whittenbrook tinha uma vida privilegiada. Filha de dois ambientalistas famosos, cresceu entre a selva amazónica e os melhores colégios da elite americana.

Com a morte dos pais num acidente de aviação, torna-se herdeira, não só de uma enorme fortuna, mas também de um segredo que abalará por completo o seu mundo - o facto de ter sido adotada.

Decidida a encontrar os seus pais biológicos, Kara parte para o Nordeste da Califórnia, onde conhecerá Ben Thocco, um rancheiro que vive rodeado de gente singular.

Em pouco tempo, ela fará parte de um universo diferente, que lhe abrirá as portas de um amor inesperado e de amizades genuínas, e a ajudará a tomar as mais difíceis decisões…


Em A Doçura da Chuva, Deborah Smith dá-nos a conhecer uma galeria de personagens cativantes, que nos envolvem e nos levam a reconhecer nos pequenos gestos do quotidiano as fontes da alegria e da felicidade.



Quando trouxe este livro da biblioteca nem li a sinopse, e nem sabia do que tratava a história, só porque tinha ouvido falar tão bem resolvi lê-lo.
E ainda bem que o trouxe pois a história é uma grande história de amor e que mostra como o amor pode vencer todas as barreiras para além de ser uma história contra a discriminação.
Um livro lindo, belíssimo que fala ao coração e que nos deixa a sonhar e literalmente a pairar.
Não vou dizer sobre o que é a história para não revelar nada, pois acho que este livro é uma grande descoberta interior que nos eleva.

3 comentários:

Marta disse...

Ao ler esta história, senti-me rodeada de sonhos e alegrias. O livro vem despertar a humanidade em cada um de nós.
Continuação de boas leituras

Clarinda disse...

Tb adorei o livro. E já tenho o 2º da autora, na estante à espera!

Luh disse...

Gostei imenso do livro, a história é bastante incomum e amei os personagens. Por acaso foi-me oferecido, e nem sabia bem o que esperar, mas sem dúvida me surpreendeu pela positiva.
Boas leituras!