sexta-feira, 29 de julho de 2011

O Segredo da Cruz de Cristo



Autor: Bill Napier

Edição/reimpressão: 2010

Páginas: 432

Editor: 11X17 (Livro de Bolso)

ISBN: 9789896372538



Cá está um bom livro para acompanhar o leitor que vai de férias, caso se interesse por mistérios, códigos secretos e caças ao tesouro…
A acção tem início em Inglaterra, mas leva-nos até às expedições ao Novo Mundo, no século XVI, e até à Jamaica, na actualidade. Guia-nos, no período Isabelino, um jovem escocês que dá pelo nome de James Ogilvie. É ele quem se vê, subitamente, a bordo de um navio que faz parte de uma expedição com um objectivo secreto, a mando da rainha Isabel de Inglaterra. É ele também quem passa pelas mais diversas aventuras, as quais vai narrando em código num diário que há-de chegar à Inglaterra de hoje, às mãos de um alfarrabista e negociante de mapas antigos, Harry Blake. Blake irá ver-se envolvido numa perigosa procura de um ícone antiquíssimo, que provém dos primórdios do Cristianismo e segue um percurso acidentado através dos tempos, passando pela época dos Cavaleiros Templários, a conquista e perda de Jerusalém pelos Cristãos, a destruição de Constantinopla…
A história vai, assim, desenrolar-se em duas épocas diferenciadas: a época Isabelina e a actualidade. O diário e o ícone são os factores que ligam estas duas realidades. Pelo meio, ficam a astronomia, a navegação na época dos Descobrimentos, a exploração do Novo Mundo, a rivalidade entre Católicos e Protestantes, e até a criação de um calendário alternativo ao Gregoriano!
Os temas são vastos, a acção é electrizante e a escrita é fluida. Deste modo, estamos perante um livro que nos proporciona várias horas de agradável leitura…

3 comentários:

Angelina Violante disse...

Tenho cá esse livro para ler, mas ainda não o fiz.

Mas pelos vistos parece que é muito bom.

Paula Gomes disse...

Eu gostei bastante. Sinceramente, nem me apetecia parar!

miGuel pesTana disse...

Adoro suspense e mistério no Verão!!

Gosto bastante deste tipo de livros.Há já algum tempo que não leio nada do género.

Boas leituras