quinta-feira, 4 de junho de 2009

Madame Bovary


Madame Bovary
Gustave Flaubert

Um livro que demorou mais de 5 semanas a ser lido e que por várias vezes esteve prestes a ser encostado. Pelo meio li vários outros livros mas decidi que não encostava um clássico tão facilmente e tive também várias pessoas que me garantiam que era um bom livro.

O livro divide-se em 3 partes. Em que a acção vai melhorando muito na segunda e terceira parte. É inegável que Gustave Flaubert escreve bem. Não é o meu género de escrita, muito descritivo e lento a nível de acção. No entanto as ultimas 120 páginas foram lidas num dia, o que só demonstra a qualidade da escrita. A terceira parte do livro é rápido e muito interessante a nível de escrita e acção.

O livro conta-nos a historia de Charles Bovary, que se torna um médico medíocre. Apaixona-se por Emma com quem se casa. A vida do pobre imbecil (e só assim poderei fazer justiça a Charles Bovary) a partir desse momento caminha para o abismo sem ele ter noção de nada. Emma torna-se rapidamente um mulher insuportavelmente frívola, leviana fútil, inconstante todos os adjectivos neste sentido podem-lhe ser atribuídos... Emma deseja ardentemente apaixonar-se e acima de tudo que se apaixonem por ela. Deseja o luxo. O descalabro a partir daqui é grande e mesmo eu não gostando muito do livro desejei que houvesse salvação para Emma e para Charles. Tive pena do modo como todos se aproveitaram deles e de como ela nunca teve percepção do que iria acontecer e de como ele por a amar cegamente acreditava em tudo o que ela dizia.

Recomendo o livro para quem gostou de livros como "Os Maias".


3 comentários:

Livros e Outras Coisas disse...

Entre livros e leituras, o convite para um chá no LOC!
Bom Domingo! :)

Mariane disse...

arO Compartilhando Leituras é um novo blog que está no ar. Faça uma visita quando puder e deixe seu comentário. Obrigada!!!

compartilhandoleituras.blogspot.com

Adeselna Davies disse...

Comecei a ler o Madamave Bovary para ter melhor noção do realismo. Estava a estudar "Sister Carrie" que é representativa do naturalismo... cheguei a meio e parei porque tinha de ler outros, mas ainda hoje olho e penso que quando tiver tempo volto a ler. Mesmo assim livros do realismo/ naturalismo têm uma escrita bastante chata, acho que mesmo "Sister Carrie" em certo ponto tive que avançar páginas porque já não aguentava tanta descrição, no entanto a história parece gira e "Sister Carrie" foi um livro que marcou-me. Enfim são livros maçudos que só se lê mesmo para ter noção da corrente literária, de resto não tem muita piada.