terça-feira, 31 de agosto de 2010

Grande Peixe

Grande Peixe 

Autor: Daniel Wallace
Data de Publicação: 2002
Editora: Temas e Debates
Páginas: 175
ISBN: 972-759-625-8


Sinopse
"Edward Bloom está às portas da morte. Nos últimos momentos de vida, é abordado pelo seu filho, que tem como propósito conhecer melhor o seu pai.
Edward é um homem acerca do qual se contam muitas histórias, a maior parte das quais impregnadas de fantasia, quais contos e lendas. Nelas, Edward é um personagem "bigger than life", adorado por todos (até pelos animais) e capaz dos feitos mais incríveis. É uma pessoa com um sentido de humor fora do vulgar. Tem sempre uma anedota na ponta da língua.
O seu filho não conhece o pai a não ser através dessas histórias. Poucas recordações tem dos momentos que passaram juntos.
Com o tempo que lhe(s) resta, pai e filho vão cimentar a amizade e o respeito que sentem um pelo outro..."


Comprei o livro na feira do livro do Porto baseado no excelente filme que vi da adaptação do mesmo. Realizado pelo excêntrico Tim Burton, a história serve que nem uma luva ao realizador. Um filme maravilhoso que nos transporta para um mundo de fantasia.
O livro no entanto não tem a força e a magia do filme. Quase que parece um resumo apressado de tudo o que presenciamos no filme. Não nos consegue cativar nem nos envolve no mundo mágico das historias de Edward Bloom. As fábulas parecem incompletas, as personagens sem sal e mesmo o vai vem na historia de encontro à morte do Ed não está bem conseguido. Edward uma personagem fantástica no filme aparece-nos aqui como uma sombra do que vemos no filme.

Um filme imperdível, um livro dispensável.

2 comentários:

gaby disse...

Admito que, como contigo, o filme me deixou com bastante curiosidade em relação ao livro. É sempre uma surpresa quando são os livros (e não os filmes) que não se igualam ao que antecipámos após ver o filme. Penso que a imaginação do Tim Burton possa ser a "culpada" dessa decepção, pelos mundos que ele cria e a sua forma particular de partilhar histórias com a audiência. Pelo menos assim fiquei um pouco menos "preocupada" por não o ter lido. :)

Marcelina Gama disse...

Ainda assim considero-o médio. Ou seja, não acho que esteja mal escrito. Mas como referes, o culpado foi em parte o colorido da imaginação do Tim Burton.

Raramente considero o filme melhor que o livro, mas este é um dos casos. :)

Obrigada por passares por cá.