quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

A primeira investigação de Poirot


A primeira investigação de Poirot
Agatha Christie


Ao ler a obra, notamos que se trata das primeiras obras com Poirot a investigar. O perfil de Poirot já se apresenta bem definido. As linhas de carácter que lhe conhecemos já existem. Por sua vez é a primeira obra que leio com o amigo de Poirot, o Sr. Hastings. Este por sua vez é uma personagem bastante divertida, pois não consegue ver nada diante do nariz. O ego dele, impede-o de perceber o que Poirot lhe vai dando como indícios. Nunca ouve tudo o que Poirot lhe diz, não toma atenção aos "agora", ou aos "depois". Poirot cansa-se de lhe dar informação, mas Hastings só vê mesmo o básico.


"Encaremos o assunto do seguinte modo: Temos um homem que, digamos, decide envenenar a mulher. É um homem que tem vivido de expedientes, ao que consta, e presumivelmente, portanto, tem uma certa inteligência. Não é parvo nenhum. Muito bem. Como procede ele, para pôr em prática a decisão tomada? Vai temerariamente ao farmacêutico da aldeia e compra estricnina, no seu próprio nome, inventando para tal uma história acerca de um cão, uma história que inevitavelmente se verificará ser absurda. Não utiliza o veneno nessa noite: espera até ter uma violenta discussão com a mulher, uma história de que toda a gente da casa toma conhecimento e que, naturalmente, ainda mais suspeito o torna. Não prepara nenhuma defesa, nem a sombra de um alibi, embora saiba que o ajudante do farmacêutico terá por força de revelar os factos. Ora adeus, não me peça para acreditar que é possível algum homem ser tão idiota! Só um doido que quisesse suicidar-se levando a que o enforcassem procederia assim!"

A intriga é bastante elaborada, e não é simples de se lá chegar, Poirot vai dando vários indícios e "contra" indícios, e Hasting por sua vez, apenas nos confunde mais com os seus comentários. A meio da obra, todos os intervenientes já foram considerados culpados e ilibados pelo Poirot e pelo Hasting. O fim é bastante engraçado, porque no fim, Poirot faz todos acreditar (inclusive, o leitor mais distraído) que estava a agir de uma maneira e depois... Um livro interessante, onde existem umas 20 páginas desnecessárias mas o conjunto é satisfatório.

2 comentários:

Anónimo disse...

A propósito de Agatha Christie e outros temas afins, convido você e a todos para conhecerem alguns blogs lançados em 2008...

A Casa Torta: O Mundo de Agatha Christie
http://acasatorta.wordpress.com

Cinema é Magia
http://cinemagia.wordpress.com

Somente Boas Notícias
http://somenteboasnoticias.wordpress.com

Televisão é Magia
http://telemagia.wordpress.com

Um abraço e um Feliz 2009.
Tommy Beresford

Ricardo disse...

Olá, acabei à pouco tempo de ler o livro. Foi a primeira vez que li algo escrito por Agatha Christie e adorei. Na minha opinião não existem 20 páginas a mais porque adorei lê-las a todas porque estava tão viciado que as devorava umas a seguir às outras. Quanto a Mr. Hastings, eu acho que ele é tão bom detective como o leitor porque muitas das vezes ele tirava as mesmas ideias que eu das palavras de Poirot lol. Mas se calhar sou só eu :P.