sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O homem pintado

O Homem pintado

Autor: Peter V. Brett 
Data de Publicação: 2010 
Editora: Edições Gailivro - 1001 Mundos 
Páginas: 648 
ISBN: 9789895576777


Sinopse
Num mundo povoado por demónios que dominam a noite, forçando os seres humanos a esconderem-se atrás de guardas mágicas à espera que o sol nasça, o jovem Arlen assiste ao massacre da sua família por causa da cobardia do pai. A partir desse momento tudo muda e Arlen parte numa viagem de descoberta que o levará a percorrer o mundo e a conhecer Leesha e Roger. Os três são a última esperança da humanidade na luta contra os demónios. Só que por vezes os demónios mais difíceis de vencer são os que trazemos dentro de nós. Juntos estes três jovens oferecem à humanidade uma última e fugaz hipótese de sobrevivência.
 

Tive o prazer de estar presente na intervenção do Peter V. Brett no Fórum Fantástico sobre personagens e caracterização. Sobre o Peter V. Brett posso só dizer bem, um discurso simples e agradável com exemplos práticos sobre a escrita. Com muita simpatia apresentou também o seu segundo livro desta trilogia (se não me engano falou em pentalogia na apresentação) - A Lança do Deserto.
Se a capa já por várias vezes me tinha aliciado, não consegui resistir depois de ouvir a descrição do livro pelo próprio autor. 
Com um autografo em português, lá comecei eu o homem pintado. Cativou de imediato. Com uma escrita eficiente apresenta-nos as três personagens principais e consegue com que o leitor crie uma grande empatia pelas mesmas. Um ponto forte são também as personagens secundárias que tem papeis fundamentais no crescimento das três crianças. Destaco Bruna uma herbanaria velha, velhíssima, com um sentido de humor fantástico e uma sabedoria invejável. 
Adorei o facto de nenhuma das personagens ser salva miraculosamente à ultima das hora. Todas elas enfrentam grandes provações e perdem pessoas ou algo que lhes é muito querido. As personagens são muito reais, especiais sim, mas não fantasiosas ou sortudas.
Quanto a escrita eficiente que já referi a mesma pode ser um  contra. Por um lado é bastante simples e muito fácil de ler, por outro lado, uma escrita um pouco mais "trabalhada" poderia colocar o livro num patamar muito superior. Curiosamente, ao tempo que lemos mais e mais fantasia encontramos sempre semelhanças, ou melhor padrões, dos quais parece-me muito complicado fugir. Excepto claro obras primas, claro, como o Senhor dos Anéis, etc.
Em resumo uma boa leitura.

1 comentário:

Elphaba J. disse...

Gostei muito deste livro!